Quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Após polêmica com VAR, presidente do TJD detona Palmeiras: “Vamos parar de chorar”

Publicado em: 26/03/2019 às 07h20


A polêmica envolvendo o VAR no último sábado durante o empate do Palmeiras com o Novorizontino segue repercutindo. Depois de oclube criticar de forma veemente a Federação Paulista de futebol através de suas redes sociais, o presidente do Tribunal de Justiça Desportiva, Antônio Olim, respondeu à altura.

Nesta segunda-feira, em entrevista ao canal Fox Sports, Olim assumiu ser torcedor do Verdão, mas não poupou críticas ao clube.

“Vindo do Palmeiras, é complicado. Tudo eles arrumam complicação. Eu sou palmeirense, mas é difícil lidar com eles. A Federação investiu uma fortuna no VAR para todos os oito jogos no final do Campeonato (Paulista). A Federação de São Paulo é melhor que a do Brasil… O que eles queriam? O Palmeiras tem um time de primeiro mundo, não precisa fazer isso. Vamos ganhar na bola, no jogo, e parar de chorar”, disparou.

Na sequência, Olim também falou sobre o fato de a conta oficial do clube no Twitter ter chamado novamente o campeonato de “Paulistinha”. “É um absurdo eles falarem ‘Paulistinha’. Um dos campeonatos mais importantes do Brasil. Chamar de Paulistinha, eles querem esculachar? Desculpa, mas isso é uma vergonha para o Palmeiras. Se não dá para o Palmeiras parar de chorar, vamos dar um lenço para ele. Eu não aguento mais. Se não gostar, problema deles. Eu não estou aqui para agradar ninguém”, completou.

Por fim, Olim também fez questão de criticar duramente o presidente alviverde, Maurício Galiotte, mas disse que, apesar de todo o desentendimento desde o fim do Paulistão do ano passado, a Federação não fecha as portas ao Palmeiras.

“Falta de profissionalismo. Ele (Galiotte) não deve falar um negócio desse. Vamos parar. O Palmeiras é um grande clube e ele pensa num mundinho pequeno. Você pode não gostar de uma pessoa, que trabalha em um local, mas você tem que, no mínimo, respeitar a instituição dela. Ele tem que dar um tempinho. Vamos se unir, a federação, que faz parte. Ele é presidente de um grande clube e tem que pensar no Palmeiras, não em um timinho. O Palmeiras tem que voltar a estar junto com a federação”, concluiu.

 

No último sábado, o Palmeiras reclamou de um toque de mão na origem do lance que gerou o gol do Novorizontino e pediu o uso do VAR. O juiz, porém, validou o tento e a partida terminou empatada em 1 a 1.