Secretária é convocada para esclarecer morte em plantão sem médico no Hospital da Vida

Publicado em: 21/08/2019 às 14h57

Dourados News

A secretária municipal de Saúde, Berenice de Oliveira Machado Souza, deverá ir ao MPE-MS (Ministério Público Estadual) esclarecer a morte de um paciente em dia com plantão sem médico no Hospital da Vida. Instaurada há um mês, essa investigação já apurou "uma cadeia de fatos reveladores de uma sucessão de erros administrativos de grossa monta, todos contribuintes, de forma direta ou indireta, para a fatalidade".

A notificação prevê que a oitiva seja realizada às 9h da próxima terça-feira (27). Nesta quarta-feira (21) está agendada reunião com o médico Renato Vidigal, coordenador do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que prestou socorro à vítima, e na quinta-feira (22) o MPE quer ouvir um dos médicos plantonistas da unidade hospitalar.

A vítima foi Roberto Gonçalves Braga, que morreu aos 34 anos após bater a Honda Biz que conduzia, de cor preta e placa NRM-1439, de Dourados, na traseira de um VW Gol que estava parado atrás de uma sequência de carros na Avenida Marcelino Pires, região da Cabeceira Alegre. O acidente aconteceu na noite de 21 de julho, um domingo.

Através do Procedimento Preparatório número 06.2019.00001173-8, o promotor de Justiça Etéocles Brito Mendonça Dias Junior passou a "apurar eventual irregularidade na realização de atendimento de urgência/emergência no Hospital da Vida por falhas na composição da escala de médico, bem como apurar as causas que ensejaram a falta de assistência a paciente que veio a óbito na data de 21/07/2019".

Nos autos, descreve que a própria Funsaud (Fundação dos Serviços de Saúde de Dourados) "destaca e admite que o falecimento do paciente socorrido pelo SAMU [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] na tarde de 21/07/2019 ocorreu durante a troca de médicos plantonistas do Hospital da Vida, o que é inadmissível".

Ainda segundo o titular da 10ª Promotoria de Justiça de Dourados, em depoimento, "o médico plantonista do Samu, o qual atendeu o caso em questão e afirmou que naquela ocasião foram informados pela equipe da área vermelha do Hospital da Vida, de que não havia nenhum médico plantonista naquele momento".

Essa mesma informação foi prestada pela Funsaud ao MPE no ofício 531/2019, datado de 13 de agosto. Nele consta a CI nº 103/2019, enviada pelo médico Majid M. Ghadie, diretor técnico médico do Hospital da Vida, para a coordenadora jurídica da Funsaud, Franciéli Arcari Maran.

Nesse documento, obtido pelo Dourados News, é detalhado que das 19h de 20 de julho às 7h do dia seguinte, 21, o próprio Majid era plantonista da área vermelha. Das 7h às 13h do dia 21 os médicos Redmar Lima e Dilson Deguti foram responsáveis pelas áreas vermelha e verde, respectivamente. Contudo, das 13h às 19h daquela mesma data, 21 de julho, as áreas vermelha e verde ficaram sem médico plantonista.

Além dessa informação, o MPE detalha ter feito reunião "na qual foram ouvidos quatro médicos que estariam envolvidos na troca do plantão do dia 21 de julho de 2019, no Hospital da Vida, os quais relataram uma cadeia de fatos reveladores de uma sucessão de erros administrativos de grossa monta, todos contribuintes, de forma direta ou indireta, para a fatalidade".

Procurada pelo Dourados News na manhã de hoje para comentar o caso, a secretária municipal de Saúde, Berenice de Oliveira Machado Souza, que é também interventora da Funsaud, não pode atender a reportagem. Contudo, uma de suas assessoras foi informada do questionamento referente à publicação e disse que seria enviada resposta assim que possível.