Odilon de Oliveira diz que vai para partido 'sem cacique'

Publicado em: 18/07/2019 às 14h51

Correio do Estado

O vereador Odilon de Oliveira Junior (PDT) disse que seu pai, juiz federal aposentado Odilon de Oliveira vai migrar para algum partido que “não tenha cacique”. “O DEM tem os ministros, o MDB tem o André Puccinelli, ele tá avaliando um partido que nos comporte”, afirmou nesta quinta-feira (18), durante assinatura da Ordem de Serviço para reforma do Aeroporto Internacional de Campo Grande.

O vereador reforçou que ele e o pai querem fazer parte de algum partido que os líderes não tenham mandato. “Nos outros partidos não cabe, ficaremos muito apertado”, declarou Odilon Junior.

O prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), também estava presente no evento e declarou que o juiz aposentado é “ótima alternativa para eleitores” e que os debates serão mais técnicos. “Ele é bom candidato em qualquer município, agora se ele vai ser escolhido pela população, depende do sufrágio eleitoral”, disse Marcos Trad.

Sobre Odilon pai e Odilon filho irem para o PSD, o prefeito disse que não pode responder pelo partido.

PDT

O juiz aposentado pediu, por meio de carta, desfiliação ao PDT alegando que quer deixar os integrantes a vontade para se organizarem. Odilon de Oliveira, que ficou em segundo lugar para governador do Estado, nas eleições de 2018, confirmou que vai se candidatar para prefeito de algum município do interior do Estado. As duas cidades que estão sendo avaliadas por ele é Três Lagoas e Dourados.

No primeiro turno, Odilon de Oliveira teve 616.422 votos (47,65% dos válidos) contra 677.310 mil votos de Azambuja, o que correspondia a 52,35%. Em Dourados, segundo maior colégio eleitoral, Odilon teve 50,54%, o equivalente a 55.231 votos e em Três Lagoas foram 56,44%, com 27.122 votos. Já em Campo Grande, Odilon teve 46,89%215.193 votos.

Nas eleições para prefeito da Capital, em 2016, Marcos Trad teve 34,57%, o equivalente a 147694 votos.