Flamengo: cheirinho literalmente português

Publicado em: 18/07/2019 às 12h00

Gazeta Esportiva

Aconteceu. De novo. E no Maracanã.

O Flamengo com estádio lotado decepciona sua torcida, protagoniza um grande fiasco e é eliminado da Copa do Brasil.

O oba-oba exagerado após a goleada diante do fraco Goiás no domingo passado durou 3 dias. Tempo de cair na realidade e constatar que na prática essa diferença não existe quando o Flamengo enfrenta um adversário minimamente organizado taticamente, caso do Athletico.

E o Mister errou.

Primeiro mudando o que em tese havia dado certo na partida anterior.

Cuellar e Renê reapareceram e Lincoln usado como titular. A ausência de Bruno Henrique não serve como justificativa. Não para um elenco tão forte como o do Flamengo. O Mister perdeu Arrasacaeta e fez a opção errada ao colocar o irritante e sonolento Vitinho em campo.

Errou ao manter Rafinha, se arrastando no segundo tempo, até praticamente o fim do jogo. Foi nas costas dele que nasceu o gol do adversário.

Berrio foi outra invenção, aí já no desespero.

Nos pênaltis, e nessa parte o Mister pode ser isentado, uma inexplicável e absurda sucessão de cobranças ruins com Diego, Vitinho e Everto Ribeiro. 3 dos mais experientes jogadores jogaram fora a chance do Flamengo avançar na competição.

Pênaltis bisonhos e inaceitáveis para quem custou tão caro para os cofres do clube.

Decepção, com misto de desilusão e a constatação que dinheiro não trás felicidade. Muito menos título.

O Mister sentiu o cheirinho pela primeira vez.