JO-2020: CBV define critérios para classificação de duplas

Publicado em: 13/12/2018 às 12h20

Admin

A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) divulgou nesta quarta-feira (12) os critérios para a classificação olímpica das duplas brasileiras aos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Serão utilizadas para o ranking da CBV as pontuações obtidas nas etapas quatro e cinco estrelas do Circuito Mundial, e também o Campeonato Mundial, que acontece em 2019.

Serão contabilizados os 10 melhores resultados obtidos pelas duplas nos eventos estipulados, de acordo com o peso estabelecido para os torneios (veja na tabela acima a pontuação correspondente). As etapas quatro estrelas renderão 800 pontos aos campeões, enquanto os torneios cinco estrelas darão 900 pontos, e o Campeonato Mundial, 1000 pontos.

A única exceção à regra será a etapa quatro estrelas disputadas em Haia (Holanda) que acontece em ginásio climatizado, poucos dias após a virada do ano, de 3 a 7 de janeiro, tanto em 2019, quanto em 2020. Com isso, o início da corrida olímpica brasileira acontece a partir do dia 01.02.2019 e terminará após a etapa de Fort Lauderdale (EUA) de 2020. Caso ela não seja realizada, contarão os resultados até 28.02.2020.

Ao final da corrida olímpica, as duas duplas com maior pontuação em cada naipe estarão classificadas para os Jogos de Tóquio. Em caso de empate entre duas ou mais duplas ao final da corrida, os critérios de desempate serão, por ordem: melhor resultado no Campeonato Mundial de 2019; melhor resultado nas etapas cinco estrelas; melhor resultado nas etapas quatro estrelas; melhor resultado na última etapa jogada entre as duplas.

A corrida olímpica interna das duplas brasileiras acontece em paralelo à disputa da vaga do país, que segue as regras da Federação Internacional de Voleibol (FIVB). Cada nação pode ser representada por, no máximo, duas duplas em cada naipe.

Os países possuem quatro maneiras de garantir a vaga: vencendo o Campeonato Mundial 2019; sendo finalistas do Classificatório Olímpico, que será disputado na China, também em 2019; estando entre as 15 melhores duplas do ranking olímpico internacional; vencendo uma das edições da Continental Cup (América do Norte, América do Sul, África, Ásia e Europa). O Japão, sede, tem uma dupla em cada naipe já garantida.