DAM registra 557 ocorrências de violência doméstica em Dourados

12/08/2017 08h46 - Por: Redação
 
 
 Delegada Paula Paula Ribeiro dos Santos Oruê, titular da Delegacia da Mulher Delegada Paula Paula Ribeiro dos Santos Oruê, titular da Delegacia da Mulher

Em sete meses, a Delegacia da Mulher de Dourados registrou 557 vítimas de violência doméstica, três a mais do que no mesmo período de 2016. A maioria dos casos é de ameaça e agressão física. Em todo o ano passado, foram registrados mais de 920 casos. Em 90% dos casos de violência doméstica em que ocorre agressão, o consumo de bebida alcoólica é o motivador.

Na busca pela conscientização da população e divulgação da Lei Maria da Penha, a Delegacia da Mulher participa das atividades do Agosto Lilás, programnação que prevê visita de toda a rede de enfrentamento de violência em mais de 60 escolas.

De acordo com a delegada Paula Paula Ribeiro dos Santos Oruê, titular da Delegacia da Mulher, apesar dos números se mostrarem estáveis entre esse ano e o ano passado, ainda precisa ser mudada a mentalidade da criação dos filhos com relação ao respeito com a mulher. "Nossa cultura ainda é muito machista, e a prevenção desde cedo com os pequenos é sempre o melhor remédio", destaca.

A delegada adiantou ainda que nas palestras que irá realizar vai se concentrar em transmitir aos alunos sobre a diferença do romantismo e do abuso. "Queremos levar conhecimento aos alunos. Fazendo isso estamos contribuindo para a formação de cidadãos de bem", explica.

Mapa da Violência

Dados da Secretaria de Políticas para Mulheres apontam que cerca de 80% dos casos de violência é cometido por parceiros ou ex-parceiros. Mato Grosso do Sul é o segundo colocado no número de denúncias de violências contra mulheres no país, sendo Campo Grande em primeiro lugar entre as capitais com mais denúncias, conforme dados da Secretaria Nacional de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher.

Em Dourados, relatório do Mapa da Violência de 2015, elaborado pelo Instituto Sangari com o Ministério da Justiça apontou a cidade como a segunda maior do Estado em número de assassinatos contra mulheres. O município perdia apenas para Ponta Porã, que é a mais violenta de MS, segundo a pesquisa.

Envie seu Comentário